Perdão

O perdão é a marca daqueles que professam a fé em Cristo e tomam a fundo seus conselhos. Quem quer se aproximar de Deus deve aprender a praticar aquilo que mais lhe agrada: o amor em forma de perdão.

 

Embora o homem tanto peque, ofendendo ao próximo e a Deus, Este continua amando-o, apesar de repudiar o pecado.  Pois, o Amor divino é algo que jamais será compreendido na sua totalidade, por nós homens, já que ultrapassa, infinitamente, nosso modo de entender.

Questionado sobre quantas vezes devemos perdoar, Jesus dá uma resposta que simboliza a disposição para amar e perdoar  sempre:“Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.” (Mt 18,22).

 

Não importa o que fora feito, mas o sincero arrependimento que nasce do desejo de “estar bem” com o Amado. Dessa forma, quem somos nós para não perdoar, se há da parte do ofensor um verdadeiro anseio por perdão?

 

Jesus também nos dá como ensinamento, a figura de um rei que perdoa a dívida do seu súdito que houvera clamado por misericórdia. Ele, não olhou para o que estava por receber, mas, simplesmente, ouviu o grito que suplicava clemência. Perdoou!

 

Deus nos pede apenas uma coisa em troca do seu perdão: que também  saibamos perdoar! Esta é a condição para alcançarmos sua misericórdia. Não importa o que lhe devemos, mas o ardente e sincero desejo de restaurar a Amizade que gera vida, o arrependimento por nossas faltas.

 

Por: Paulo Neto

O perdão é a marca daqueles que professam a fé em Cristo e tomam a fundo seus conselhos. Quem quer se aproximar de Deus deve aprender a praticar aquilo que mais lhe agrada: o amor em forma de perdão.

 

Embora o homem tanto peque, ofendendo ao próximo e a Deus, Este continua amando-o, apesar de repudiar o pecado.  Pois, o Amor divino é algo que jamais será compreendido na sua totalidade, por nós homens, já que ultrapassa, infinitamente, nosso modo de entender.

Questionado sobre quantas vezes devemos perdoar, Jesus dá uma resposta que simboliza a disposição para amar e perdoar  sempre:“Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.” (Mt 18,22).

 

Não importa o que fora feito, mas o sincero arrependimento que nasce do desejo de “estar bem” com o Amado. Dessa forma, quem somos nós para não perdoar, se há da parte do ofensor um verdadeiro anseio por perdão?

 

Jesus também nos dá como ensinamento, a figura de um rei que perdoa a dívida do seu súdito que houvera clamado por misericórdia. Ele, não olhou para o que estava por receber, mas, simplesmente, ouviu o grito que suplicava clemência. Perdoou!

 

Deus nos pede apenas uma coisa em troca do seu perdão: que também  saibamos perdoar! Esta é a condição para alcançarmos sua misericórdia. Não importa o que lhe devemos, mas o ardente e sincero desejo de restaurar a Amizade que gera vida, o arrependimento por nossas faltas.

 

Por: Paulo Neto

Anúncios

Um comentário sobre “Perdão

  1. ée verdade pessoal! é tão bom você poder receber esse perdão, e saber que a fonte que ele vem é infinita! Porém, é bom sabermos também que Deus é muito bondoso, mas é justo! Se pecamos, e nos arrependemos e logo depois, mesmo sabendo que aquilo é pecado fazemos novamente, ai já é ser cara de pau demais com Deus! Mas enfim. Perdoar nos faz bem e faz bem ao outro!

    Amo o blog de vocês conteúdo muito bom mesmoo! Deus os abençoem! Tamo jUNTO! Precisar podem contar conosco do Lance de Santidade!

    Bejo. Fiquem com Deus!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s